Segundo a enciclopédia Salvat e o dicionário Aurélio Buarque conceituam a palavra alternativa como "opção" ou "escolha entre duas ou muitas coisas". As "Alternativas" ocorrem por causa da necessidade de ir mais além, para alterar o que está convencionado.

 

Entre as variações de práticas alternativas ou para-acadêmicas, a terapia das essências florais vem sendo aplicada por muitos profissionais que atuam na área da saúde. O criador das essências florais Eduard Bach se baseou na fundamentação de sua teoria para expor a origem das doenças e suas curas, numa forte causa teológica, contudo recebeu influência dos mestres Rodolf Steiner (antroposofia), Samuel Hahnemann (homeopatia - doses infinitesimais), Goeth (filosofo), Paracelso (Quintessência).

          

Como explicar então o efeito dos remédios feitos com flores – essências florais - na conduta humana? Como explicar que o uso da essência floral é elemento de transformação e que traz neste líquido, forças vitais da natureza, levando o indivíduo a uma mudança de equilíbrio do campo vibracional humana? A compreensão de que as flores contem "forma - pensamento" e que a planta representa o que de equivalente há em nós, contendo uma expressão exata de "algo" que é uma parte geral da humanidade.

 

Abrindo um parêntese, faz-se importante esclarecer a diferença entre remédio e medicamento. Remédio é tudo o que remedia, mas não necessariamente é droga. Já a medicação é sempre uma droga. O floral é remédio, mas não é droga.

 

           Prosseguindo, a proposta central deste departamento é compreender os florais como uma ciência das flores. Isto é possível se entendemos o universo como um complexo vibracional macromicro capaz de promover ressonância entre as suas diversas manifestações. Neste caso, haveria uma ressonância entre as Dimensões H (dimensão Humana) com as Dimensões F (dimensão das Flores).

 

Eduard Bach desenvolveu a terapia das essências florais partindo de idéias forjadas na realidade de sua própria experiência (primeiro experimentou em si mesmo). Bach descobriu as trinta e oito flores, das quais foi preparado em remédio utilizando os recursos da natureza (alquimia), que deflagrou a partir de um processo individual de busca e aperfeiçoamento interior.

 

           A primeira meta de Eduard Bach era a idéia do "cura-te a ti mesmo". Disposto a investigar e compreender seus conflitos mais profundos, provenientes do que ele classifica de sentimentos egoístas. Bach canaliza todos os esforços em sua nova investigação, observando principalmente que as flores podem libertar sentimentos negativos acumulados na "alma" humana (ou energia vital, ou psique).

 

           Bach escreveu: "A doença é o resultado de pensar errado e agir errado e cessa quando a ação e o pensamento são corrigidos. Quando a lição da dor, do sofrimento e da aflição é apreendida, não mais existe propósito da presença da doença e ela automaticamente desaparece".

 

           Através da ressonância, as essências florais ou remédios vibracionais interagem, detectando o que há de errado, revelando o conflito latente, aflorando a percepção do "pensamento errado" que leva a "doença", desencadeando, assim, um processo de auto-conhecimento.

 

           O uso das essências permitirá vislumbrar a ação correta que substitui o que está errado ou mal compreendido, abrindo canal para a tomada de consciência (revelação do inconsciente).

 

           Para tornar-se um conhecedor da ciência floral, é necessário um bom conhecimento da psique humana; sensibilidade; um estudo do complexo macromicro que faz parte da Ciência do Sentir; botânica e uma analogia sintomatológica.

DEPARTAMENTO - CIÊNCIA DAS FLORES

Coordenação Virginia Lopes Sampaio